Bem vinda, Visitante! [ Registrar-se | Entrar

A hibridação e os híbridos

A hibridação e os híbridos, COMO PLANTAR E CRIAR 30 de novembro de 2019

Hibridação é a união entre indivíduos de espécies diferentes. Portanto, para obter híbridos é preciso que sejam acasalados animais de espécies diferentes, pois se forem acasalados animais, embora de diferentes raças, não serão obtidos híbridos, mas apenas mestiços.

Em geral, quando se houve falar em híbridos, pensamos em animais estéreis. Tal conceito está certo, mas apenas em parte, pois os híbridos podem ser não só estéreis ou infecundos, mas também de fecundidade limitada ou mesmo indefinidamente fecundos.

Nos híbridos que se fecundam por exceção, o maior grau de fecundidade se apresenta nas fêmeas, devido à maior resistência do sexo feminino às modificações do seu organismo. Nelas, os óvulos tem um desenvolvimento completo enquanto que, nos machos, é muito raro as células espermáticas se desenvolverem ou amadurecerem completamente. É por essa razão que os burros não podem, de maneira alguma “enxertar”, enquanto que as mulas, embora seja muito raro, podem dar crias.

Essa esterilidade completa dos machos híbridos é uma das características que os distingue dos mestiços, pois esses são indefinidamente fecundos.

Algumas espécies se acasalam e dão híbridos estéreis, enquanto que outras são de difícil acasalamento e dão produtos fecundos.

Alguns indivíduos, embora sejam considerados híbridos, são fecundos entre si e também com seus ascendentes, não diferindo, nisso, dos mestiços. Como exemplo desses híbridos, temos os produtos dos acasalamentos dos bois europeus com os zebus.

Como classificar os híbridos

Os animais dessa categoria podem ser divididos em 4 grupos:

– Híbridos fabulosos: são os que os povos da antiguidades julgavam existir e se chamavam jumartos, quando obtidos pelo acasalamento do cavalo com a vaca, do touro com a égua e do touro com a jumenta. Está provado que, embora possa haver acasalamento da espécie bovina com a eqüina ou asinina, não há fecundação. Por essa razão, esses híbridos não podem existir.

– Híbridos duvidosos: são os chabinos e leporídeos, sobre os quais divergem as opiniões, embora a maioria dos autores acredite na existência desses produtos dos acasalamentos entre carneiros e cabras e entre coelhos e lebres.

– Híbridos clássicos: que podem ser divididos em 5 grupos, como está a seguir:

a) eqüídeos: Quase todas as espécies do gênero equus dão híbridos entre si, já havendo sido obtidos produtos do acasalamento entre eqüinos e zebras, que se denominam zebroides. Nesse grupo, porém, os mais conhecidos e produzidos por suas excelentes qualidades são os muares, isto é, os burros e mulas. Podem eles ser obtidos pelo acasalamento entre o jumento e a égua ou então, entre o cavalo e a jumenta. Neste último caso, o produto se chama bardoto. Como já dissemos, as mulas, embora seja muito raro, podem procriar, ao passo que o burro, ainda que possa efetuar os acasalamentos, não pode fecundar fêmeas

b) bovídeos: muitas espécies situadas neste grupo podem dar híbridos entre si.. O touro europeu, por exemplo, com a fêmea iaque ou a vaca com o macho iaque, dão produtos muito explorados no Tibet. O macho é estéril, enquanto que a fêmea é fecunda. O iaque com o zebu dão produtos resistentes, fortes e rústicos, muito usados no Tibet para tração. Os machos são estéreis e as fêmeas fecundas. O zebu com o boi europeu resulta em produtos indefinidamente fecundos e que são considerados como verdadeiros mestiços. Esse tipo de hibridação é muito empregado em todo o Brasil, com o objetivo de dar maior rusticidade e tamanho ao gado comum ou creoulo e maior resistência ao gado europeu aqui criado. O bisão americano, tão conhecido, mas erroneamente, por ?búfalo? (devido aos antigos filmes de cinema que retratavam o velho oeste americano), com o boi europeu gera produtos cujos machos são estéreis, enquanto que as fêmeas são fecundas. Em geral, é usado o touro na fêmea bisã, pois quando o bisão cobre a vaca, o parto se torna difícil devido ao grande tamanho do trem anterior que a cria herda do pai. Quanto ao acasalamento do búfalo com o zebu ou boi europeu, não é possível pois existe uma repugnância natural entre as espécies.

c) Os acasalamentos entre carneiros e cabras é possível, mas não está comprovada a existência dos produtos desses acasalamentos.

d) Porcídeos: o porco doméstico acasala-se com facilidade com o javali, dando híbridos machos estéreis e fêmeas fecundas.

e) Aves: também entre as aves podem ser obtidos híbridos. Entre eles podem ser citados os seguintes acasalamentos: faisão comum com a galinha, cujo produto chama-se coquarto; faisão dourado com a perdiz e faisão dourado com a codorna.

– Híbridos raros: Entre esses, podem ser citados os produtos da galinha com o peru, da angolinha com o galo e do marreco com o pato. Todos eles são estéreis.

Portanto, híbrido é o produto obtido pelo acasalamento entre animais de espécies diferentes e pode ser, não só estéril, mas também fecundo ou de fecundidade limitada.

Adubo para Grama

O post A hibridação e os híbridos apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

18 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café