Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

Características das coelheiras

Características das coelheiras, DESTAQUES 16 de outubro de 2018

Características das coelheiras

O criador deve ter sempre em mente que depende, em grande parte, de boas instalações para obter sucesso com sua criação e por esta razão, as coelheiras devem apresentar as seguintes características:

– Ter tamanho adequado para o número de coelhos que devem abrigar;


– Apresentar um certo conforto para os animais, principalmente em relação ao piso, sobre o qual passam todo o seu tempo, para evitar o aparecimento de feridas nas patas;

– Ser de fácil limpeza e permitir que os trabalhos em seu interior sejam feitos com facilidade;

– Devem ser, de preferência, desmontáveis, para facilitar reparos e trocas de partes danificadas além de facilitar o seu transporte em casos de aquisições ou de mudanças;
– Ser de construção que facilite o combate a parasitas, como os das sarnas e das coccideoses;

– Ser resistentes o suficiente para evitar fugas de coelhos e entrada de predadores;
– Ser retangulares, com a frente para o lado maior, para facilitar a sua limpeza, os acasalamentos, a captura dos coelhos, a colocação dos ninhos, etc., além de permitir maior ventilação e luz;

–  Ter as seguintes alturas do chão: 80cm para as de 1 andar, 40cm para as de 2 andares e 30cm para as de 3 andares;

– Ter pisos que facilitem o escoamento dos detritos e excrementos;

– Ser de construção que evite o calor ou o frio excessivos, em seu interior;

– Possuir comedouros, manjedouras e bebedouros (conforme o seu tipo), na parte da frente e do seu lado de fora, para que os coelhos possam ser tratados sem que haja a necessidade de abrirmos a porta para isso;

– Suas frestas devem ser vedadas, para evitar que insetos e parasitas nelas se escondam;

– As coelheiras de madeira devem pintadas, por dentro, somente com cal mas, no seu exterior, podem ser usadas tintas a óleo;

– As gaiolas de arame podem ser galvanizadas ou pintadas com tinta de alumínio ou mesmo certas resinas;

– Quando necessário, devem ter cortinas contra o sol, as chuvas, os ventos e o frio.

As coelheiras devem ser construídas de tal maneira que sirvam para diversos usos: reprodução, cria, recria e engorda. Mesmo quando são instaladas ao ar livre dão bons resultados e as melhores, sob todos os aspectos são as de 1 só andar, porque facilitam o exame e o manejo dos animais, economizando mão-de-obra, pois os detritos caem diretamente sobre o solo ou dentro das valas.

As de 2 andares são de construção mais complexa, o manejo é mais difícil e há necessidade de uma limpeza mais freqüente, pelo menos nas partes sobre as quais caem os detritos da coelheira superior. As de 3 andares são as menos indicadas, pois são de manutenção e limpeza ainda mais difíceis e demoradas e, ainda, os coelhos dos andares de baixo e de cima são sempre menos vistos do que os do andar do meio, tornando-os mais ariscos e correndo o risco de, se contraírem alguma doença, ela só ser percebida quando já em estado avançado.

As coelheiras de 2 e 3 andares, no entanto, apresentam as seguintes vantagens: economia de terreno, principalmente quando ele é pequeno ou de custo elevado; exigem menores caminhadas do tratador, para fazer seu trabalho; há economia, principalmente na construção das coberturas ou telhados.

O post Características das coelheiras apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

134 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.