Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

Criar cabras é um bom negócio

Destaques do agronegócio 3 de outubro de 2018

Criar cabras é um bom negócio

As cabras são animais de grande rusticidade, se desenvolvendo em qualquer lugar e sob as mais duras condições como, por exemplo, nas zonas sujeitas às grandes secas, como acontece no nordeste do Brasil.

São insubstituíveis para quem quer pouco leite e dispõe de um pequeno espaço, no qual não seria possível manter uma vaca. Basta dizer que, 8 cabras, comem o mesmo que uma vaca, além de serem pouco exigentes quanto ao tipo de alimentação.

O período de gestação das cabras é menor do que o das vacas, são mais rústicas e resistentes a doenças, praticamente, não contraindo a tuberculose.

Tem uma função, muitas vezes maior que a econômica: a social. Fornece o leite para a amamentação de crianças e proporciona à famílias de baixa renda, uma alimentação saudável com o seu leite e a sua carne, além de melhorar a renda familiar com a venda de seus produtos.

O leite de cabra é reputado como um dos melhores, sendo rico em gordura, proteína, minerais como cálcio, fósforo e ferro e, ainda, vitaminas A, C, B, entre outras.

A escolha da raça

É de grande importância e o criador, ao adquirir suas cabras, deve ter todo o cuidado, pois dessa escolha depende, em grande parte, o sucesso da criação. Devem ser adquiridas cabras de raças ou linhagens com período de lactação de 250 dias e uma produção inicial acima de 2,5 litros. Cabras doentes, defeituosas, esgotadas ou velhas devem ser rejeitadas.

Como são em geral os animais puros, de raças leiteiras aperfeiçoadas, os que mais produzem, é aconselhável adquirir cabras puras ou que sejam mestiças dessas raças. Entre as numerosas raças leiteiras, podem ser destacadas as seguintes:

– Toggenburg : medem 1,10m de comprimento e 70 a 80cm de altura na cernelha e produzem de 3 a 5 litros de leite por dia;
– Saanen : é toda branca, mede 1,15m de comprimento e de 79 a 93cm de altura e produz de 3 a 5 litros de leite por dia.

Além dessas, temos a Nubiana, que produz de 3 a 6 litros de leite por dia, a Anglo-Nubiana, com produção de 2 a 4 litros, a Murciana, que é considerada a mais elegante e bonita das cabras e dá, em média, 2 a 3 litros, alcançando porém até 5 litros. Podemos citar, também, as raças Maltese e a Mambriana.

Quanto às cabras das raças nacionais, não é aconselhável a sua criação para a produção leiteira, apesar de já existirem algumas raças brasileiras já aperfeiçoadas para este fim. Em geral, elas produzem pouco e tem um período de lactação pequeno.

Sua criação

Como as cabras são animais com um forte espírito de liberdade, tudo fazem para fugir quando são presas em cercados. Por esse motivo, as cercas e todas as instalações devem ser bem resistentes. Em certas regiões, são usadas cercas rústicas, de madeira roliça, conhecidas por tipo “cama” ou “tesoura”.

As cabras leiteiras devem ser estabuladas, ou pelo menos, receber algum trato. O estábulo deve ser localizado em lugar alto, seco e protegido das chuvas e dos ventos. Pode ser de alvenaria ou de madeira, com piso preferencialmente de cimento e com um declive para escoar melhor os detritos. É necessário, porém, que as cabras fiquem sobre estrados de madeira, 20cm acima do piso. Cada baia deve medir 1,50 por 80cm de largura.Os bodes devem ficar separados das fêmeas.

Quando, por qualquer motivo, o criador só puder adquirir cabras mestiças ou nacionais, deve cruzá-las com bodes puros, das raças leiteiras aperfeiçoadas, pois assim, vai melhorando o seu rebanho até obter animais puros por cruza e de alta produção.

O post Criar cabras é um bom negócio apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

130 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.