Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

Gestação das coelhas

DESTAQUES, Gestação das coelhas 14 de outubro de 2018

Gestação das coelhas

A gestação ou prenhez é o resultado da concepção, após a fecundação dos óvulos pelos espermatozóides, formando os ovos e começa exatamente no momento em que eles se fixam no útero. Significa, portanto, que a coelha tem em seu útero ovos se desenvolvendo, passando pela fase de embriões e depois transformando-se em fetos que se encontram dentro de “bolsas d’água” independentes e envolvidos pelas membranas e matérias fetais, ou seja, corion, ammios, vesícula umbilical, alantóides, placenta e cordão umbilical.

Os aparelhos digestivo, circulatório, respiratório, genital e urinário, nos fetos, se revestem de uma forma rudimentar, quase até o final do seu desenvolvimento, quando se transformam e se aperfeiçoam. Os fetos se alimentam e respiram através da placenta e, ao nascerem, pesam em média de 60 a 80 gramas.

A gestação das coelhas é de 30 a 31 dias, sendo a de menor duração entre os animais domésticos. Pode, no entanto, variar de acordo com a precocidade, raça, idade dos reprodutores e número de fetos, pois quanto mais láparos (filhotes), menor a sua duração, ocorrendo o inverso, quando o número de fetos é menor.

Em geral, os partos normais ocorrem após um período de gestação de 29 a 33 dias mas, em cerca de 95% dos casos, ocorrem em 30 dias. Alguns autores, no entanto, citam casos de gestações de até 40 a 43 dias. Quanto ao número de láparos, a média costuma ser de 8 a 9, mas existem casos de 14 ou até mesmo 16 filhotes por parto.

Durante a gestação, as coelhas sofrem modificações em sua conformação, anatomia e alterações fisiológicas ou de funcionamento. O local no qual essas alterações são mais expressivas é, sem dúvida, no útero, que aumenta de volume, modifica a sua forma e consistência.

Os ovários ficam aumentados devido à existência dos corpos amarelos ou lúteos, a vagina fica flexível e se distende, a vulva torna-se avermelhada e congestionada. O útero tem aumentada a sua irritabilidade e excitabilidade e pode se contrair. As glândulas mamárias também aumentam de volume. Além desses modificações locais, anatômicas e fisiológicas, existem ainda as de ordem geral, que afetam as funções orgânicas gerais. Entre elas temos:

– digestão mais ativa e por isso as gestantes têm muito apetite e engordam com mais facilidade;
– respiração mais acelerada no final da gestação;
– temperatura um pouco mais elevada;
– aumento na secreção urinária;
– início da secreção láctea;
– desaparecimento do cio;
– ficam mais calmas.

No final da gestação, 3 a 4 dias antes do previsto para o parto, deve ser colocado à disposição da coelha um ninho com uma camada de palha bem seca e em pedaços de 10 a 15cm de comprimento, no máximo.

É preciso, ainda, um bebedouro com água limpa e fresca, não só para que a coelha não sinta sede e devore as suas crias, mas também para a produção de leite. É importante, também, que seja fornecida uma alimentação fresca, abundante, sadia e adequada, composta de alimentos nutritivos e digestivos. O melhor é fornecer-lhes uma boa ração balanceada e o verde, à vontade. Uma alimentação defeituosa ou a falta de água podem provocar o canibalismo na coelha, isto é, o hábito ou prática de comer os filhotes.

O post Gestação das coelhas apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

151 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.