Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

Mercado e comercialização de coelhos – bons lucros

DESTAQUES, Mercado e comercialização de coelhos - bons lucros 16 de outubro de 2018

Mercado e comercialização de coelhos – bons lucros

Podemos afirmar que atualmente, no mercado interno, não há problemas para a colocação de coelhos e seus produtos, pois a procura e as possibilidades comerciais são superiores à oferta. Quanto às possibilidades de exportação, são consideradas ilimitadas.


França, Inglaterra, Itália, Japão, Alemanha, Suíça e Estados Unidos são alguns dos países que vem tentando adquirir carne de coelho no Brasil e não conseguem, simplesmente porque a produção brasileira é muito inferior às necessidades dos compradores estrangeiros. Também o mercado para peles se encontra na mesma situação.

Passamos a analisar as formas rentáveis de se trabalhar com os coelhos:

– Coelhos vivos para corte – são abatidos entre 90 e 120 dias, pesando em média 3kg de peso vivo.

– Coelhos abatidos – são vendidos pelos criadores, a carne e a pele seca.

– Reprodutores – é a atividade que proporciona maiores lucros na cunicultura, mas que também exige grande prática, maiores conhecimentos, maior trabalho e técnicas mais apuradas de reprodução, manejo, alimentação, seleção, etc.

– Peles curtidas – quando curtidas, as peles proporcionam maiores lucros. Seus preços de venda compensam o trabalho ou o investimento de capital no curtimento, pois as peles curtidas podem ser vendidas por preços mais atraentes.

– Peles industrializadas – as peles industrializadas ou o seu artesanato proporcionam, aos criadores, um substancial aumento nos lucros, pois uma pele, por exemplo, quando transformada em bolsas, roupas, etc., faz com que o lucro aumente bastante.

– Pêlo ou lã angorá – existe mercado para qualquer quantidade desse produto, utilizado para a produção de tecidos “angorá” ou “cachemir”.

– Couros – quando sem pêlos, podem ser curtidos em napa, pergaminho, camurça, etc. Seu preço de mercado varia de acordo com a qualidade do curtimento.

– Esterco – há mercado para qualquer quantidade. 100 coelhos, em 1 ano, produzem de 5 a 6 toneladas de esterco.

Pelos dados apresentados, facilmente pode ser verificado que o coelho é um bom negócio em qualquer escala ou com qualquer uma das finalidades mencionadas. Devemos chamar a atenção dos criadores para o fato de que, para obter-se bons resultados com uma criação, é necessário que se conheça a fundo este tipo de negócio pois sem as técnicas necessárias, o criador não alcançará a produção e a produtividade desejadas.

O post Mercado e comercialização de coelhos – bons lucros apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

102 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.