Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

Minhocas – as maiores melhoradoras de solos

DESTAQUES, Minhocas - as maiores melhoradoras de solos 12 de novembro de 2018

Minhocas – as maiores melhoradoras de solos

As minhocas ingerem grandes quantidades de terra (solo), as digerem, retiram dela os alimentos de maior valor e eliminam o restante, após realizada a digestão, como fezes muito ricas em nitrogênio, cálcio, fósforo, potássio e magnésio, todos eles elementos solúveis na água e que, por isso, podem ser rapidamente absorvidos, como alimentos, pelas plantas.

Além disso, as minhocas cavam o solo como verdadeiros arados, afofando-o e o arejando, inclusive ao redor das raízes das plantas.

Os canais construídos pelas minhocas têm, ainda, a grande vantagem de possibilitar uma maior penetração dessas raízes no subsolo, melhorando o seu crescimento. Os solos em que não existam minhocas são mais compactados, mais duros e ressecados pelo sol, além de impermeáveis ou de mais difícil penetração da água.

Os solos com minhocas são mais fofos, granulados, macios, permeáveis, com fácil absorção de água, mais fáceis para serem cultivados e melhores para as plantas que têm, neles, o crescimento de suas raízes bastante facilitado. Isso produz um maior desenvolvimento das plantas e o aumento do seu índice de produtividade, resultando em maiores safras nas mesmas áreas de lavouras.

O papel das minhocas na recuperação, manutenção ou na fertilização do solo é tão importante que, em todo o mundo, já se tornou um hábito bastante interessante e comum, a presença das minhocas nos solos das propriedades rurais.

Na Austrália, por exemplo, quando um comprador se interessa por uma fazenda, manda examinar 1 metro quadrado de terra do imóvel. Se forem encontradas 4 ou mais minhocas por metro quadrado, a terra desse imóvel é considerada boa e o solo rico. Quando, no entanto, são encontradas menos minhocas na mesma superfície de terreno, isso significa que essas terras não são boas e, às vezes, até estéreis ou improdutivas.

As minhocas e a terra boa

Uma das perguntas mas comuns sobre minhocas é: o solo é bom porque tem muitas minhocas ou há nele muita minhoca, porque ele é bom?

Acreditamos que as 2 indagações estejam certas, tenham suas razões para serem feitas e que o resultado final nada mais é do que o conjunto das duas situações ou elementos.

As minhocas só vivem bem e são abundantes em solos ricos em matéria orgânica animal e vegetal, em decomposição, pois elas são os seus alimentos. Elas, por outro lado, transformam essas matérias orgânicas em húmus, enriquecendo o solo e, ao mesmo tempo, vão se multiplicando, aumentando em número e tamanho, de acordo com a melhoria do solo em que estão vivendo e cujas qualidades e composição elas estão melhorando com o húmus que vão produzindo.

Segundo Darwin, em condições favoráveis, as minhocas podem revolver, em um ano, 40 toneladas de solo por hectare e, em alguns solos, elas podem viver aos milhares, na mesma área.

O post Minhocas – as maiores melhoradoras de solos apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

118 total de visualizações, 2 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.