Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

O parto das cabras

DESTAQUES, O parto das cabras 4 de outubro de 2018

O parto das cabras

O parto é a expulsão do feto ou fetos do útero, após completar o seu desenvolvimento na vida intra-uterina. Ocorre devido às contrações uterinas e abdominais (“dores do parto”). As contrações uterinas são regidas por determinados hormônios e movimentos reflexos dos fetos, sendo elas que provocam as “dores do parto”.

As secreções vaginais aumentam, lubrificando as paredes da vagina, para facilitar a saída dos fetos. O colo do útero (cervix) possui um tampão mucoso que, também tem a mesma função, facilitando a saída dos fetos.

O primeiro cuidado que devemos ter, relacionado diretamente com o parto, é resolver se separamos ou não a cabra do seu lote. Como, em geral, as cabras novas são reunidas em lotes, desde pequenas, muitas vezes pode ocorrer que ao ser dele separada, a cabra fique nervosa e entre em “stress”, o que não é aconselhável. Assim sendo, se separarmos uma parturiente das suas companheiras e notarmos que ela está muito agitada e agoniada para voltar ao seu antigo lugar, às vezes até tentando pular a cerca, o melhor é levá-la imediatamente para lá e deixá-la ter os seus cabritinhos junto “às tias”, pois ela se sentirá mais segura.

As cabras, em geral, têm os seus partos normalmente. Na maioria das criações, é muito raro que se tenha algum problema com isso. As próprias cabras livram os cabritinhos da placenta ou secundina e os lambem, não só para limpá-los de todas as matérias e “sujeiras” da pele mas também para ativar a circulação sangüínea periférica e, com os dentes, cortam o cordão umbilical. A placenta é expulsa logo depois de nascido o último cabrito.

O criador deve estar preparado para prestar toda a assistência necessária, inclusive chamando um médico veterinário, mas não deve intervir e nem mesmo mexer nos cabritinhos pois, em alguns casos, a cabra pode injeitá-los. O criador só deve interferir quando ocorrer algum problema sério, como no caso de o filhote não poder nascer. Nos partos anormais (distócicos) ou de crias fracas, assim que o filhote nascer, deve ser virado de cabeça para baixo, limpadas as suas narinas e dada a famosa “palmadinha”, para despertar o filhote para a vida ao ar livre, para que comece a respirar.

As cabras em gestação, as parturientes e as recém-paridas devem ficar bem sossegadas, longe de muito movimento e barulho, principalmente fortes e súbitos, que as assustem muito, mas sempre sob vigilância contínua. O criador, no entanto, só deve mexer com elas em casos de absoluta necessidade.

O post O parto das cabras apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

128 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.