Pescaria no Outono: atenção com o turn over da água

Pescaria no Outono: atenção com o turn over da água

Em alguns locais os peixes podem sentir a mistura de água quente com fria e ficarem mais manhosos

A pescaria no Outono pode exigir um pouco mais de paciência do pescador. A Estação costuma alterar o comportamento do peixe, num fenômeno lento e constante chamado por especialistas como turn over da água.

Mas o que é isso? A camada superficial de água quente formada durante o Verão agora entra em contato com uma temperatura noturna mais amena, típica da Estação. Isso faz com que a água quente, com menos oxigênio, vá para o fundo.

Pela manhã a água volta a ter contato com a temperatura ambiente mais elevada, o que novamente esquenta a superfície.  Já à noite a temperatura mais branda volta a “derrubar” a superfície quente.

Então, este ciclo vai se repetindo, porque o Outuno é a estação com a maior amplitude térmica. Lugares como represas e reservatórios são os mais atingidos por este ciclo.

Mas o pescador não deve ficar preocupado. Lugares menos abrigados e com constante exposição aos ventos e com intensa movimentação d’água são menos afetados pelo turn over.

Uma importante vantagem do Outono é que agora os peixes começam a se preparar para o Inverno. Sendo assim, ainda que encontrem menos oxigênio com a constante mistura de água quente mais a fria, sairão para caçar a fim de garantir as reservas energéticas alguma hora do dia.

O post Pescaria no Outono: atenção com o turn over da água apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

28 de maio de 2019 15:03

401 visualizações, 0 hoje