Previsão do tempo: chuvas e rajadas de vento marcam início da semana; confira

No Centro-Oeste, a chuva persiste na metade norte do Mato Grosso e de Goiás e no Distrito Federal, associadas ao calor e à alta umidade

 

Segunda-feira, 23

Sul

Agora com chuvas restritas ao leste e nordeste de Santa Catarina e no litoral do Paraná, por conta da umidade que vem do mar. Serão precipitações fracas e isoladas, que intercalam por períodos de melhoria, que ocorrem entre à tarde e à noite. Nas demais localidades, o tempo será firme. As temperaturas se elevam ao longo da tarde, com sensação de calor mais do centro ao oeste da Região Sul.

Sudeste

A segunda-feira já começa com chuva pela manhã em boa parte de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, e essa precipitação ganha força à tarde e à noite nessas áreas, acompanhadas por trovoadas e rajadas de vento. No estado de São Paulo, as pancadas de chuva vêm mais a partir da tarde, depois de uma sensação de calor entre o final da manhã e o meio da tarde entre a região de Registro e o Vale do Paraíba até a região de Franca e Ribeirão Preto.

As chuvas do estado paulista, que também pega a Região Metropolitana de São Paulo e litoral, vêm na forma de pancadas fortes, rápidas e isoladas. Mesmo isoladas, há riscos para temporais e possibilidade para eventuais quedas de granizo nos 4 estados do Sudeste, só que os temporais mais fortes ocorrem em especial nas faixas norte e leste do estado de São Paulo, parte do Triângulo Mineiro, e no centro, sul e no norte de Minas Gerais.

O tempo será chuvoso no nordeste de Minas Gerais e no norte do Espírito Santo, pois além da atuação do jato subtropical nessas áreas, há uma frente fria estacionária na costa baiana que também contribuem para as chuvas constantes e fortes nessas regiões do extremo nordeste do Sudeste. Por outro lado, o tempo é firme no oeste e noroeste e norte do estado de São Paulo e no extremo oeste do Triângulo Mineiro. Reforça que faz calor nessas localidades, e a umidade do ar cai bastante em especial no noroeste e oeste do estado paulista.

Centro-Oeste

A chuva persiste na metade norte do Mato Grosso e de Goiás e no Distrito Federal. E elas estão associadas ao calor e à alta umidade, além de instabilidades nos níveis médios da atmosfera, que estão relacionadas com um cavado entre Goiás e Minas Gerais. Há riscos de temporais em todas essas áreas em que chove, mas os volumes mais elevados, com riscos de maiores danos acontecem no extremo nordeste do Mato Grosso e no norte de Goiás, como sua capital e em Brasília.

Além de potencial para raios e rajadas de vento em todas as áreas que há previsão de chuva, pode ter eventuais quedas de granizo em pontos isolados. Nas demais áreas do Centro-Oeste não chove, como na região do Pantanal, com destaque para o calorão e a baixa umidade do ar, no meio da tarde.

Nordeste

O tempo firme será em grande parte da Região Nordestina. Não chove desde o centro da Bahia até o litoral do Ceará, do Piauí e do litoral norte do Rio Grande do Norte, tudo por conta do centro de um Vórtice Ciclônico nos Altos Níveis da Atmosfera (que faz com que o tempo seja firme nessas áreas, pois quando há esse sistema atuando provoca apenas chuva na sua borda).

Assim, esse mesmo sistema provocará pancadas de chuva mais no oeste da Bahia, no Maranhão e no sul do Piauí e também do litoral de Sergipe ao litoral norte do Rio Grande do Norte. Essas chuvas vêm de maneira forte, com raios e rajadas de vento, mas seus acumulados não são tão elevados quanto os observados no domingo, mas mesmo assim podem causar danos.

No sul e leste da Bahia chove ainda com volumes elevados, com riscos para alagamentos e demais danos, neste caso por conta de uma frente fria que ainda é estacionária. Com relação a umidade do ar, ela cai bastante no meio da tarde entre o Ceará e o extremo norte da Bahia, e nesses locais faz bastante calor.

Norte

A chuva segue ocorrendo na maior parte da Região Nortista. A intensidade mais forte e com volumes elevados ocorrem no Pará e no sul e oeste de Tocantins, com riscos para danos, como alagamentos e deslizamentos de terra. E essas instabilidades são causadas por um vórtice ciclônico em médios níveis da atmosfera, que é uma área de baixa pressão atmosférica que fica nesse caso à 5km de altitude e ajuda na formação de nuvens carregadas de chuva.

No Amazonas também tem temporais, com raios e rajadas de vento por todo o Amazonas e parte de Roraima, neste caso por conta de uma área de baixa pressão atmosférica em superfície. No norte do Pará e no Amapá os temporais são causados pela atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). No Acre e no norte de Rondônia também, por conta da umidade alta, o calor e mais a circulação dos ventos em altitude. Por fim, apenas no sul de Rondônia é que o tempo firme segue predominando.

Terça-feira, 24

Sul

Com previsão de chuva isolada e fraca apenas no litoral do Paraná e no extremo nordeste de Santa Catarina. Essa precipitação ocorre mais entre a manhã e à tarde, e está associada ainda a umidade que vem do mar, trazida pela circulação dos ventos de uma área de alta pressão atmosférica no Oceano Atlântico.

Pela manhã a sensação ainda é um pouco de frio entre a serra catarinense e o leste do Paraná. Mas, à tarde volta a subir as temperaturas, e chega a fazer mais calor que nos dias anteriores entre o centro oeste do Rio Grande do Sul ao oeste do Paraná.

Sudeste

Na terça-feira as pancadas de chuva ocorrem no decorrer do dia nos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo. Elas são fortes, na forma de temporais e acompanhadas por raios e rajadas de vento. Não se descartam, em especial no período da tarde, quedas de granizo pelo estado mineiro. Atenção para os acumulados um pouco elevados no oeste mineiro e no nordeste e leste capixaba.

No estado do Rio de Janeiro, como da região de Registro ao Vale do Paraíba, passando pela Região Metropolitana de São Paulo e o litoral paulista, todos no estado de São Paulo, a chuva vem mais à tarde. São pancadas mais isoladas, com eventuais descargas elétricas.

Atenção nas regiões norte e nordeste, e parte da região serrana do estado do Rio de Janeiro, pois os temporais são fortes também, com riscos de danos também. Boa parte da chuva é causada por um cavado entre MG, ES e RJ, esse cavado é ondulações atmosféricas, neste caso, em torno dos 5 km, onde relativamente há uma região alongada de uma relativa baixa pressão

Centro-Oeste

Chuva ainda na metade norte do Mato Grosso e de Goiás e no Distrito Federal. Essas instabilidades acontecem mais no período da tarde, na forma de temporais, com raios e rajadas de vento, além de eventuais quedas de granizo. Do sul do MT e de GO à todo Mato Grosso do Sul, o tempo permanece firme, com calorão e baixa umidade do ar no meio da tarde nessas localidades.

Nordeste

Na terça-feira a chuva ocorre mais entre o oeste, sul e leste baiano, mais boa parte do Maranhão e todo o litoral leste do Nordeste. Essas instabilidades ainda acontecem por conta da borda do Vórtice Ciclônico nos Altos Níveis da Atmosfera, que causam chuvas fortes, no decorrer do dia.

Norte 

Na terça-feira as instabilidades ganham força no Amazonas e no norte de Rondônia, por conta de uma área de baixa pressão atmosférica no Amazonas e mais a borda do vórtice ciclônico nos médios níveis da atmosfera entre o Pará e o Amazonas. Há riscos de temporais no Amazonas e em Rondônia, com acumulados elevados e riscos para alagamentos e demais transtornos.

Salienta-se que a chuva avança por todo o estado de Rondônia, e além de ter temporais nesse estado, há temporais também no Acre, no Pará, Roraima, no Amapá e no Tocantins, mesmo com riscos para danos, por conta de raios e rajadas de vento, além de eventuais alagamentos, os volumes de chuva não são tão elevados, se comparados com à região da Amazônia, mas mesmo assim, o alerta para transtornos é mantido nessas áreas.

site do café

O post Previsão do tempo: chuvas e rajadas de vento marcam início da semana; confira apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

23 de novembro de 2020 11:28

268 visualizações, 1 hoje