Bem vinda, Visitante! [Registrar-se | Entrar

Regras práticas para a alimentação dos coelhos

DESTAQUES, Regras práticas para a alimentação dos coelhos 14 de outubro de 2018

Regras práticas para a alimentação dos coelhos

Na alimentação dos coelhos devem ser observadas algumas regras, destacando-se entre elas as seguintes:

– não há inconveniente em dar verde recém-cortado ou molhado, mas pode ser fornecido murcho, desde que não “esquente”, isto é, não esteja fermentado, para evitar problemas intestinais e diarréias;

– administrar sal misturado na ração ou em blocos pendurados nas gaiolas;

– usar de preferência bebedouros automáticos;

– quando dos tipos “pote” ou “mamadeira”, manter os bebedouros sempre cheios com água limpa e fresca, principalmente para fêmeas em gestação ou lactação;

– limpar os comedouros todos os dias, para evitar que neles permaneça ração estragada;

– todas as forragens e rações devem ser isentas de terra, impurezas e de ervas daninhas que possam prejudicar os animais;

– quando necessário, submeter os alimentos a determinados processos de preparação como, por exemplo, trituração e moagem, para que tenham maior aproveitamento;

– manter os coelhos sossegados, pois o repouso ajuda a engorda;

– não dar alimentos em excesso, para que não fiquem nos comedouros e se alterem;

– administrar as rações ou alimentação, de acordo com a produção;

– verificar se os alimentos estão produzindo os efeitos desejados, ou seja, um aumento proporcional de peso, boa produção de láparos, número e resultado das coberturas, quantidade da carne ou pelo;

– dar uma alimentação variada, pois isso representa um estimulante para o apetite e secreções digestivas;

– dar as rações com regularidade, porque é interessante para o funcionamento normal do aparelho digestivo e a saúde do animal;

– tomar determinados cuidados na troca da alimentação, evitando a passagem brusca de um regime para outro, devendo a troca de alimentos ser feita gradativamente, para os coelhos irem se acostumando com o novo regime alimentar;

– dar aos coelhos uma ração completa, nos seus elementos nutritivos;

– misturar alimentos caros com mais baratos, desde que boa qualidade, para que sejam obtidas, quando necessário, rações mais econômicas;

– a alimentação deve manter uma certa média de qualidade e quantidade, pois a irregularidade na distribuição das rações ou a grande variação em sua qualidade prejudicam, não só a saúde ou as condições físicas dos coelhos, mas também a sua produção;

– entre os melhores, verificar quais são os alimentos de que mais gostam os coelhos, para que lhes sejam fornecidos, pois assim comerão mais e também produzirão mais;

– utilizar recipientes ou utensílios adequados para depositar as diversas qualidades ou tipos de alimentos (ração balanceada, grãos, forragens verdes, etc.)

Embora muitos criadores se descuidem da alimentação, é nela que se encontra um dos principais fatores de sucesso ou fracasso da criação, sendo por isso necessária uma vigilância rigorosa na qualidade, quantidade e distribuição dos alimentos para os coelhos.

O post Regras práticas para a alimentação dos coelhos apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

107 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café
  • Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão A economia continua patinando, mas os negócios nos leilões de elite seguem de vento em popa e movimentando cifras milionárias. A vaca nelore Jamaya da Di Gênio foi vendida no 5º Encontro Vila Real, pregão realizado em Brotas (SP), no último dia 26, por […]

    O post Vaca é vendida por preço recorde neste ano: R$ 1,95 milhão apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Produção comercial de rãs

    de em 30 de outubro de 2019 - 0 Comentários

    A criação de rãs ou ranicultura é uma atividade pecuária das mais lucrativas, desde que desenvolvida de maneira adequada, com um padrão zootécnico elevado. Desta forma, poderemos obter uma alta produtividade e, conseqüentemente, boa lucratividade. As condições em um ranário são completamente diferentes das encontradas pelas rãs na natureza, pois o nosso objetivo ao criá-las […]

    O post Produção comercial de rãs apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

  • Vaca Louca

    de em 8 de novembro de 2019 - 0 Comentários

    “DOENÇA DA VACA LOUCA” é o termo vulgar denominado da enfermidade Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). É uma doença infecciosa que causa lesões neurodegenerativas (degenera o cérebro) progressivas e levam o animal à morte. Supõe-se que a epdemia da Vaca Louca, teve início na Inglaterra em 1985, porém, além da Grã-Bretanha, a doença já foi diagnosticada […]

    O post Vaca Louca apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.