Criação de ovinos – reprodução e manejo

Criação de ovinos – reprodução e manejo

A ovinocultura brasileira já obteve vários progressos nos últimos anos, principalmente no padrão zootécnico. Contudo, esses avanços não podem ser considerados em todas as criações, pois não podemos dizer que todo o rebanho nacional é tratado com base em ótimos padrões. De qualquer maneira, uma significativa melhoria na qualidade do rebanho, nos processos de produção e comercialização já são visíveis.

A reprodução dos ovinos, como em qualquer tipo de criação, é um dos fatores críticos para o sucesso do empreendimento. O criador deve ter um claro conhecimento do processo e dos métodos que devem ser empregados para fazer com que a reprodução dos animais traga os melhores resultados. Desta maneira, uma das principais preocupações deve ser o momento ou época do ano mais adequada para o acasalamento, tendo em vista o fim das gestações no verão, que é a época mais comum para os nascimentos.

As ovelhas apresentam, geralmente, apenas um período reprodutivo anual, ou seja, apenas um cio por ano, o que restringe as possibilidades de acasalamento de cada fêmea e, consequentemente, as possibilidades reprodutivas. As épocas mais indicadas para as coberturas variam de raça para raça, não havendo uma uniformidade nesta categoria. Esta variação ocorre, principalmente, de acordo com o tipo de lã que uma determinada raça possui. As raças de lã mais fina, por exemplo, apresentam um período reprodutivo é maior, ampliando as possibilidades reprodutivas para várias épocas do ano.

Para que o aproveitamento do período fértil de das ovelhas não seja desperdiçado, o criador deve dar uma atenção especial aos machos, pois sem que os machos estejam em condições totalmente adequadas à reprodução, mesmo com as fêmeas prontas para o acasalamento, a reprodução simplesmente poderá não acontecer. Além disso, machos que não sejam devidamente preparados, poderão gerar animais com características menos desejáveis.

Para que as fêmeas estejam totalmente preparadas para o período de acasalamento, o criador deverá estar atento a cuidados básicos e vitais para que o desempenho delas seja totalmente eficiente. Para isso, além de respeitar o período reprodutivo correto (cio), o criador deverá preparar as fêmeas mantendo-as devidamente alimentadas, em condições sanitárias adequadas e, principalmente, respeitar a idade e o peso indicado para cada raça, no período reprodutivo. Isso quer dizer que uma fêmea muito jovem ou muito velha poderá apresentar problemas, da mesma maneira que fêmeas mal nutridas ou com problemas de saúde. As idades e pesos indicados variam de acordo com as raças.

No que diz respeito à alimentação correta e mais adequada, as ovelhas devem ser alimentadas de acordo com a fase do ano ou a que estiverem vivenciando. Isso quer dizer que as rações deverão ser diferentes durante os períodos seco, de cobertura, de gestação e de lactação. O criador deverá dar uma atenção especial e reforçar a alimentação, principalmente, no período final da gestação, para assegurar a vida e a saúde do cordeiro. As necessidades nutritivas podem variar durante cada um desses períodos, mas não devemos descuidar em momento algum, sob pena de criarmos animais doentes, reduzirmos a produção e, consequentemente, “amargar” prejuízos com a criação.

O post Criação de ovinos – reprodução e manejo apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

19 de novembro de 2018 15:48

244 visualizações, 0 hoje