Bem vinda, Visitante! [ Registrar-se | Entrar

Cuidados com os cascos ou unhas dos caprinos

Cuidados com os cascos ou unhas dos caprinos, DESTAQUES 4 de outubro de 2018

Cuidados com os cascos ou unhas dos caprinos

Os cascos ou unhas dos caprinos, como os de todos os animais que os possuam, têm uma certa velocidade de crescimento, adequada para compensar o desgaste que normalmente eles sofrem pelo atrito com o solo, pedras, etc.

Quando esses animais são criados soltos ou pelo menos em regime semi-intensivo ou de pastoreio de percurso, andam muito e seus cascos se desgastam normalmente. Quando, porém, eles são criados em regime intensivo, em confinamento, sobre pisos de ripas de madeira, o crescimento dos cascos é maior e mais rápido do que o seu desgaste. Por isso, eles vão crescendo muito e se deformando, provocando desvios dos eixos dos membros e, em conseqüência, defeitos graves nos aprumos.

O animal com cascos que apresentam este problema, defeituosos, começa a ter dificuldade para andar, sofre dores, passa a se alimentar mal, etc. e envelhece mais rapidamente, devido a esses problemas.

Como os pés têm a função, não só de apoiar o corpo do animal mas também de servir de amortecedores, impedindo que todos os choques ao andar ou correr, sejam transmitidos ao corpo, existem cartilagens formando um sistema de alavancas, de várias peças unidas por tendões, que agem como molas que se distendem e contraem de acordo com as necessidades e, ainda, com a almofada plantar (sola) de tecido mais mole.

As patas ou pés dos caprinos são formadas por 2 unhas ou cascos, sendo por isso, denominados bi-ungulados (2 unhas) e, popularmente, são chamados de animais de casco aberto.

Partes dos pés

Para melhor compreensão, damos as partes que compõem os pés dos caprinos:

– ossos: 1ª, 2ª e 3ª falanges e os sesamóides;

– cartilagens: almofada plantar, que é de carne resistente e elástica e fica sob o osso do pé e do tendão flexor;

– carne do pé: recobrindo as regiões já citadas e

– coroa: parte que fica ligada, como transição, entre o casco e a pele, sendo muito importante porque é ela que produz o tecido córneo regenerador do casco, além de outros tecidos.

Todas essas partes são recobertas pelo casco. Externamente, o casco se divide em taipa, palma e talão. Taipa é a parte externa e visível do casco, quando o animal está nele apoiado; sua parte da frente chama-se pinça; a palma é côncava e sua “grossura” ou espessura é igual à da taipa e a ela se liga pela linha branca. O talão liga-se, à frente com a palma e atrás com os lados da taipa

Como tratar do crescimento dos cascos

Pelo exposto, embora de maneira muito resumida, podemos chegar às conclusões de que os pés das cabras possuem uma estrutura anatômica muito complexa, que as unhas crescem e podem causar sérios problemas e que é necessário que mantenhamos vigilância contínua, para que possamos descobrir logo, quando os cascos começam a crescer, para apará-los imediatamente.

É uma operação muito simples que pode ser feita com o caprino em pé (melhor) ou deitado e mesmo em cabras gestantes, desde que a contenção do animal seja feita com todo o cuidado, principalmente quando se tratar de cabras em gestação, para evitar tombos ou quedas e, em conseqüência, traumatismos, com os riscos que eles envolvem. Para o corte do casco podemos usar, o que é melhor e mais indicado, uma tesoura especial ou, em substituição, outro elemento cortante, bem amolado.

O post Cuidados com os cascos ou unhas dos caprinos apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

Sem tags

113 total de visualizações, 1 hoje

  

Links patrocinados

Site do Café