Alimentação das minhocas

Alimentação das minhocas

As minhocas de todas as espécies se alimentam de matérias orgânicas vegetais e animais, em decomposição. Quanto à quantidade de alimentos, a minhoca vermelha da Califórnia, por exemplo, que, adulta, pesa 0,80 a 1gr ingere, em 24 horas, alimentos equivalentes ao seu próprio peso.

Em relação aos alimentos para as minhocas, podemos agrupá-los em:

– estercos: resultantes dos alimentos ingeridos pelos animais e que, não sendo assimilados pelo seu organismo, são dele eliminados, como fezes.

Quando soltas na natureza, as minhocas, praticamente, podem comer os estercos de qualquer animal doméstico ou selvagem. Nos minhocários, no entanto, os criadores lhes fornecem estercos somente de animais domésticos, principalmente de bois, cavalos, coelhos, carneiros, cabras, galinhas, etc.

Os estercos, no entanto, só podem ser dados às minhocas, nos canteiros, depois de fermentarem, aumentarem a temperatura, que pode chegar a 70 ºC e esfriarem, depois de ficarem bem curtidos.

– “compostos”: também depois de passarem por uma fase de fermentação, como os estercos e após esfriarem, ficando com a sua temperatura normal e estabilizada.

O composto é obtido, em geral, pela fermentação de materiais considerados “grosseiros” para as minhocas como, por exemplo, grãos, restos de capinas, papel, forragens, fenos, palhas, folhas, etc., que só devem ser dados às minhocas depois de decompostos, pela fermentação.

– 50% de esterco e 50% de composto. – lodo de esgotos, lixo orgânico domiciliar ou de indústrias alimentícias e resíduos de matadouros: são outras matérias orgânicas ou de fontes de alimentos para as minhocas.

– restos de cozinha misturados à ração de galinha: são fornecidos às minhocas, por alguns criadores. – soro de leite e composto de lixo: são, também, fornecidos às minhocas para baratear os custos de produção mas, para criações comerciais, o melhor é empregar, como alimentação para as minhocas, o esterco e os compostos, já “prontos” ou “curtidos”.

Os alimentos para as minhocas são colocados, normalmente, no canteiro, formando a cama na qual elas vivem e da qual elas retiram todos os alimentos de que necessitam.

Não devemos colocar nos canteiros, estercos muito molhados ou encharcados de urina. Nesses casos, é aconselhável lavar o esterco antes de utilizá-lo, mas isto só deve ser feito em último caso, porque prejudica a qualidade do esterco, o que vai refletir na composição do húmus.

Outro cuidado importante a observar é não colocar as minhocas enquanto o esterco estiver quente porque, quando está em fermentação, ele pode chegar até uma temperatura de 65 a 70 ºC, o que, certamente, mataria todas as minhocas nele colocadas. Temperaturas inferiores, de 30 a 40 ºC, já esterilizam o esterco, matando sementes, mudas, bactérias e outros microorganismos que nele se encontrem.

O post Alimentação das minhocas apareceu primeiro em Celeiro do Brasil.

14 de novembro de 2018 08:40

256 visualizações, 0 hoje